FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

sexta-feira, 23 de junho de 2017

NOVOS PARADIGMAS DO PROCESSO

NOVOS PARADIGMAS DO PROCESSO

Ciência & Saúde Coletiva abre chamada temática para promoção da saúde e direito à cidade

Embora o maior objetivo da Promoção da Saúde seja a equidade e melhoria das condições de vida, há de se considerar que as formas de expressão da sociedade que ocorrem nos diferentes territórios e cidades são distintas e únicas. O princípio da equidade tem relação direta aos conceitos de igualdade e justiça e passam pela redução no impacto dos determinantes sociais de saúde no âmbito das políticas públicas e dos grupos vulneráveis. Ainda que o movimento de cidades saudáveis faça parte de um conjunto de políticas urbanas implantadas pela Organização das Nações Unidas (ONU), faltam debates aprofundados sobre conceitos e práticas articuladas aos princípios da Promoção da Saúde. Faltam pesquisas que estudem experiências bem-sucedidas de Promoção da Saúde e equidade voltadas ao direito à cidade. A presente proposta de número temático de Ciência & Saúde Coletiva busca preencher esta lacuna na literatura científica. A pergunta que orientará a edição é: “Como produzir saúde no âmbito das cidades em conjunto com diversos setores da sociedade, visando enfrentar e diminuir situações de exclusão e iniquidades, garantindo de forma justa o direito à cidade a todos os seus moradores?”. A chamada pública está aberta até 30 de agosto de 2017.

Serão priorizados artigos que abordem assuntos específicos sobre equidade, que avancem o conhecimento no que diz respeito ao estado da arte e de experiências sobre o escopo analítico para além do setor saúde e que problematizem as seguintes categorias e temas:

1. Teorias sobre justiça, igualdade, diferença, diversidade, equidade.
2. Direito à cidade
3. Vulnerabilidade: em busca de um conceito interdisciplinar
4. Métricas para detectar diferenças e/ou avaliar políticas para grupos em situação de vulnerabilidade
5. Modos de escuta dos grupos em situação de vulnerabilidade
6. Políticas intersetoriais para a equidade
7. Conflitos e dilemas na utilização do espaço urbano
8. Invisibilidade de grupos em situação de vulnerabilidade
9. Ampliando o olhar sobre as pessoas com deficiência

Os artigos submetidos deverão seguir as orientações e normas de publicação disponíveis na seção “Instruções para os Colaboradores” e encaminhar os originais para o e-mail: promocaodesaude@unifran.edu.br. Os editores convidados do número são os docentes Marco Akerman, do Departamento de Política, Gestão e Saúde da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP); Glória Lúcia Alves Figueiredo e Carlos Henrique Gomes Martins, ambos do Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde da Universidade de Franca (Unifran). Esta chamada pública está aberta até 30 de agosto de 2017.

A construção da sociedade do trabalho no Brasil: Ceensp debateu clássico comteporâneo das ciências sociais


A crise econômica, política e social por que passa o país e os temas que estão em disputa, como a reforma trabalhista e a previdência social, não deixam dúvida: o Brasil vive, hoje, uma encruzilhada histórica. Nada mais adequado, portanto, do que a busca por reflexões aprofundadas, de longo fôlego, que nos tragam instrumentos para superar adversidades e propor novos horizontes. Uma dessas raras oportunidades foi oferecida durante o Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos da ENSP (Ceensp), que, no dia 31 de maio, teve por tema "A construção da sociedade do trabalho no Brasil - revisitando um clássico contemporâneo das ciências sociais no Brasil". 

O título faz referência ao livro do sociólogo Adalberto Moreira Cardoso, publicado em 2010. Para debater as ideias expostas no livro, além do autor, que é professor do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Uerj, esteve presente José Sergio Leite Lopes, professor do Museu Nacional da UFRJ e diretor do Colégio Brasileiro de Altos Estudos, também da UFRJ. A coordenação do debate foi feita por Tatiana Wargas, à época, vice-diretora de Ensino da ENSP. 

Adalberto Moreira Cardoso, primeiro a falar, iniciou sua palestra lembrando o ímpeto inicial para a escrita do livro: "Era preciso construir argumentos de longo curso para uma dinâmica que não era de ontem."  Ao se debruçar sobre o tema do trabalho, o sociólogo produziu uma revisão da escravidão que normalmente se aprende nas escolas. A dificuldade de se empreender uma regulação do trabalho, o caráter predatório do patronato brasileiro e uma visão degradante do trabalho manual têm suas origens na demorada transição para o trabalho livre em nosso país.

Fórum Nacional Segurança na Cadeia Logística: Prevenção de Roubo de Cargas

Novos dados assustadores colocam o Brasil como o campeão mundial em roubos de cargas, são mais de 1 bilhão de reais em perdas e uma estatística de 6 roubos a cada 10.000 entregas, segundo a NTC&Logística. 

Mesmo com esse cenário, algumas empresas conseguiram diminuir seus sinistros através de inteligência em gestão, outras com a utilização de tecnologias de última geração.

O Fórum Nacional para Segurança na Cadeia Logística, – principal encontro do setor de segurança no transporte – chega em sua terceira edição com novidades, e a principal dela é a ampliação do espaço para relacionamento e reuniões, aproveitando a presença de todos os envolvidos no transporte e segurança dos produtos.

Para saber mais do evento, clique aqui.

8ª PRÊMIO ACRJ DE SUSTENTABILIDADE

Ciclo de mobilidade debate sobre tecnologia, big data e planejamento urbano

No dia 21 de junho, o Grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV (GEI-SA), em parceria com o Arq.Futuro, realiza mais um debate sobre Mobilidade Urbana. O tema desta edição é Tecnologia, Big Data e Planejamento Urbano. Esse é o segundo debate realizado este ano, que ainda prevê outros dois encontros em 2017.
Os convidados desta edição são Danilo Igliori, (Presidente do Data ZAP); Ivo da Motta Azevedo Corrêa (Vice-presidente de Public Policy da Uber) e Pablo Cerdeira, (coordenador do Centro de Tecnologia e Sociedade da Escola de Direito do Rio de Janeiro da FGV e Ex-Chief Data Officer da Prefeitura do Rio de Janeiro). O debate terá mediação do professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) e coordenador do GEI-SA, Gesner Oliveira, e de Tomas Alvim, cofundador do Arq.Futuro, idealizadores do ciclo de debates.
O primeiro debate ocorreu em março com o tema Mobilidade Urbana e o Futuro das Cidades, e teve como palestrante convidado o Secretário Municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo, Sérgio Avelleda, que apresentou sua visão sobre as mudanças nas formas de mobilidade observadas na cidade hoje e o planejamento da prefeitura para as questões do município.
Para mais informações e inscrições, acesse o site.

Evento na FGV busca estimular desenvolvimento de startups brasileiras

A rede Alumni da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da FGV (EBAPE) realiza, no dia 22 de junho, às 18h30, o Encontro do Startup Club. O evento tem o objetivo de estimular iniciativas de instituições e investidores e dar visibilidade ao trabalho desenvolvido pelos alunos e egressos da Escola.
Com foco em melhorar a atuação das startups e impulsionar as ações e investimentos na área, os egressos da EBAPE, desenvolveram um sistema chamado Startup Club, no qual os associados são imersos em uma comunidade que conecta empreendedores, investidores e pesquisadores e que realizam, mensalmente, apresentações sobre temas relevantes com pitches com perguntas e respostas. A partir destas apresentações, os empreendedores são expostos a diversos questionamentos e opiniões dos mais diversos assuntos, auxiliando no amadurecimento do seu negócio, assim como também propicia um intenso networking entre possíveis clientes e investidores.
Para o ex-aluno da EBAPE Bernardo Machado, um dos fundadores do Startup Club, a sanção presidencial da Lei Complementar do Simples torna, em tese, os investimentos mais seguros para ambos os lados, facilitando o aporte de capital em Startups e que a aglomeração e cultura de inovação irão facilitar a criação de novos negócios.
“Não será através de apenas uma iniciativa que o Brasil terá polos tecnológicos de verdade. É preciso uma grande rede de instituições, aceleradoras, investimentos, eventos e pessoas para que ideias boas deem certo e continuem no país”, completou.
Apesar das altas taxas tributárias e da burocracia do país, nos últimos 10 anos, o Brasil registrou vários casos de sucesso de startups como os da Buscapé, EasyTaxi, Zero Papel, Conta Azul, entre outros que inspiram novos empreendedores, diariamente, a criarem uma Startup, explica Bernardo Machado, mestre em Administração de Empresas pela FGV, fundador e CEO da Price Ninja, startup de soluções em inteligência de coleta e comparação eletrônica de preços para varejo.
O evento do Startup Club apresentará painel com Leonardo Clark, Líder em Planejamento Tributário e Desenvolvimento de Negócios da Gaia (GSGA) e Otávio Leite (Deputado federal e membro da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa e autor da emenda que cria a figura do investidor anjo), Alexandre Linhares, professor da EBAPE e desenvolvedor da plataforma Startup Club e contará, ainda, com a participação dos Anjos do Brasil.
Os interessados em participar do evento devem se inscrever pelo site.